quinta-feira, 31 de março de 2011

Paralisação do 7 de abril em Belém

Os médicos de todo o País suspenderão o atendimento aos planos e seguros de saúde no próximo dia 07 de abril, Dia Mundial da Saúde. Na ocasião, não realizarão consultas e outros procedimentos eletivos. Os pacientes previamente agendados serão atendidos em nova data. Todos os casos de urgência e emergência receberão a devida assistência.


A paralisação é uma estratégia da luta por honorários dignos, instituição nos contratos de cláusulas de reajustes anuais, além de exigir o fim da interferência de planos e seguros saúde no exercício da medicina. A manifestação é referendada pela Federação Nacional dos Médicos (FENAM), Associação Médica Brasileira (AMB), Conselho Federal de Medicina (CFM), e pelo conjunto das sociedades de especialidades médicas. Todas as entidades médicas do Brasil, portanto, são corresponsáveis pelo sucesso da suspensão do atendimento, fator que aumenta nossa responsabilidade, além de exigir mobilização máxima.


No Pará, a Comissão Estadual de Honorários Médicos (SINDMEPA, CRM E SMCP) e as Sociedades de Especialidades elaboraram um calendário de atividades:


14/03 a 30/03/2011 - Reuniões da CEHM (Comissão Estadual de Honorários Médicos) com as Sociedades/Cooperativas de Especialidades;


31/03/2011 - Reunião do COSEMPA - Auditório do CRM-PA


06/04/2011 - Assembléia Geral dos médicos/sociedades/cooperativas - 19hs, no auditório do CRM-PA


07/04/2011 - Paralisação com concentração na frente do CRM-PA, a partir das 8hs


07/04/2011 - Coletiva de Imprensa, às 10hs


Entendo que a atividade mais importante é a participação na concentração em frente ao CRM. Vamos demonstrar na rua a insatisfação da categoria com a exploração dos planos de saúde.


Fonte: SINDMEPA

quarta-feira, 30 de março de 2011

Governo do Rio vai dar bolsa extra a residentes de pediatria


O governador do Rio, Sérgio Cabral Filho, confirmou que a Secretaria de Saúde vai conceder uma bolsa extra para os residentes de pediatria, devido à grande carência constatada em todo o País na especialidade.





O anúncio foi feito durante a inauguração de um tomógrafo móvel na Cinelândia, no centro do Rio. Cabral disse ainda que pelo fato de o problema ser nacional, outros estados devem adotar a ideia.


Uma pediatra da rede municipal de saúde, que preferiu não se identificar, chamou a iniciativa de paliativa. "Na verdade, não é um compromisso com a pediatria, pois os salários são muito defasados, sobretudo se comparados ao investimento que um aluno fez para se formar. A carreira de pediatria é muito gratificante, mas o salário no serviço público é indigno".


A médica explicou que diferentemente de outras especialidades, o pediatra não tem outros procedimentos para conseguir uma remuneração maior, como intervenções cirúrgicas por exemplo. "O pediatra tem que trabalhar muito mais para ter um salário parecido aos colegas de outras especialidades. Resultado: os professores de pediatria estão implorando aos alunos que sigam essa especialidade".


O valor da bolsa ainda não foi definido, mas o governador garantiu que em até 30 dias ele deverá ter assinado o decreto que aprova o incentivo.


Fonte: Portal Terra



STF julga amanhã ADIN 1923 contra lei das Organizações Sociais

Está na pauta do Supremo Tribunal Federal desta quinta feira, 31/03, o julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade contra a lei que permite que Organizações Sociais administrem hospitais públicos. O relator é o Ministro Ayres Britto. A ADIN foi proposta pelo Partido dos Trabalhadores e Partido Democrático Trabalhista em 1998. É imperativo que os movimentos sociais se mobilizem para pressionar o STF a derrubar esta excrescência.  Vejam o Tema do Processo e a posição da Advocacia Geral da União e Procuradoria Geral da República:

1. TEMA

1. Ação Direta de Inconstitucionalidade, com pedido de medida liminar, em face da Lei nº 9.637/98 – que rege a instituição, o controle e a extinção das organizações sociais, assim como o processo pelo qual absorvem atividades executadas por entidades público-estatais, que então se dissolvem, tudo sob a inspiração do Programa Nacional de Publicização - e do inciso XXIV do art. 24 da Lei nº 8.666/93, com a redação dada pela Lei nº 9.648/98 – que, por sua vez, admite a celebração de contratos de prestação de serviços entre organizações sociais e o Poder Público, sem a exigência de licitação.

2. Alegam os requerentes violação aos artigos 22, 23, 37, 40, 49, 70, 71, 74, §§ 1º e 2º, 129, 169, § 1º, 175, caput, 194, 196, 197, 199, § 1º, 205, 206, 208, §§ 1º e 2º, 209, 211, § 1º, 213, 215, caput, 216, 218, §§ 1º, 2º, 3º e 5º, e 225, § 1º, todos da Constituição Federal. Afirmam que os dispositivos impugnados visam transferir atividades desenvolvidas por autarquias e fundações públicas para entidades de direito privado, independente de processo licitatório. Sustentam, também, que a transferência de tais atividades para organizações sociais fere a constituição no que determina a fiscalização contábil, financeira, orçamentária pelo Congresso Nacional; a elaboração de orçamento; a observância de limite para despesas de pessoal; a realização de concurso público; e a aquisição de bens mediante processo licitatório.

3. O STF indeferiu a medida cautelar.

2. AGU.

Pela improcedência da ação.

3. PGR.

Pela declaração de inconstitucionalidade, sem redução de texto, de toda interpretação dos dispositivos impugnados que pretenda qualquer tipo de redução na atividade dos órgãos de controle típicos, designados à fiscalização do Poder Público, notadamente na ação do Ministério Público e do Tribunal de Contas.

Fonte: STF
terça-feira, 29 de março de 2011

MONUMENTA: ADEUS AS ILUSÕES

Dia 6 de agosto de 2008, durante duas horas, o Dr. Valinoto técnico da UEP, deu explicações e respondeu as perguntas feitas por moradores de casas antigas da Cidade Velha, bairro mais antigo de Belém. Esclareceu tudo a respeito do financiamento para recuperação de imóveis privados do programa Monumenta. Esse encontro foi promovido pela CiVViva no auditório do Forum Landi e se encontra notícia neste blog.

Os presentes, convencidos de tão interessante proposta, iniciaram os contactos com a FUMBEL. Cinquenta foram os pedidos feitos relativamente ao edital n.1/2008, dos quais, 44 eram de moradores da Cidade Velha.

No Diário Oficial de 22 de Dezembro de 2008 foi publicado, no segundo caderno, a relação dos 49 escolhidos para terem acesso a tal financiamento, assinado pela Dra. Maria Eugenia Coimbra. A todos foi dito que em breve tempo a questão estaria resolvida: que receberiam o dinheiro. Alguns dos interessados, ao ouvir isso, se mudaram de casa para poder dar inicio aos trabalhos.

Os documentos começaram a ser pedidos. O vai e vem nos orgãos públicos também tiveram início. Os projetos levavam de 4 a 5 meses em cada orgão e depois ainda tinham que ser corrigidos. As despesas aumentavam e o dinheiro não saia.

No primeiro semestre de 2010, aqueles que tinham completado o iter burocrático foram chamados para fazer o depósito da caução para poder ter acesso ao financiamento. Esperaram noticais por um mes, depois começaram a telefonar para perguntar quando ia sair o dinheiro: depois das férias; depois do Círio; depois do Natal e assim chegamos a 2011. CONTINUA


Fonte: Associação Cidade Velha-Cidade Viva


 

segunda-feira, 28 de março de 2011

CAP apresenta as prioridades do movimento médico no Congresso Nacional

Membros da CAP e o Presidente do CFMA Comissão de Assuntos Políticos (CAP) – formada por representantes do Conselho Federal de Medicina (CFM), da Associação Médica Brasileira (AMB) e da Federação Nacional dos Médicos (Fenam) – lançou na quinta-feira (17) a “Agenda Parlamentar da Saúde Responsável”.  A apresentação aconteceu durante o I Encontro Nacional de Conselhos de Medicina de 2011, que se realizou em Goiânia (GO).


A publicação apresenta os projetos prioritários para a classe médica, a área da saúde e a sociedade que estão em tramitação no Congresso Nacional.  Entre os projetos listados pela Comissão de Assuntos Políticos, está o que dispõe sobre a regulamentação do exercício da medicina, em tramitação no Senado, e o que trata do piso salarial de médicos, em discussão na Câmara dos Deputados. Além de relacionar os projetos, seus autores e relatores e o estágio de tramitação, a Agenda Parlamentar também traz a posição do movimento médico sobre cada assunto.


A “Agenda Parlamentar da Saúde Responsável” será entregue a todos os deputados federais e senadores. O livro também será encaminhado a todas as lideranças e entidades médicas; além disso, estará disponível no site do CFM.  Com a publicação dessa agenda, as entidades médicas esperam contribuir com parlamentares, profissionais de saúde e a sociedade no encaminhamento das propostas e aprovação dos projetos que nortearão a assistência à saúde no Brasil.


Fonte: CFM

domingo, 27 de março de 2011

CFM firma posição pela gestão pública no SUS

Conselhos contrários à precarização do trabalho médico e terceirização no SUS


O Conselho Federal de Medicina reafirmou ser contrário a qualquer forma de precarização do trabalho médico no serviço público. O texto que afirma o posicionamento foi elaborado durante I Encontro Nacional dos Conselhos de Medicina de 2011 (I ENCM 2011), do qual participam representantes de todos os conselhos regionais de medicina do país.


No texto, que deve ser divulgado em breve, os conselhos de medicina se posicionam de maneira clara em função da defesa do Sistema Único de Saúde, do serviço público, do concurso publico e da preservação dos preceitos do Sistema Único de Saúde (SUS).

"Estamos reafirmando o apoio total ao Sistema Único de Saúde e contrários a qualquer forma de precarização. Acreditamos que o serviço público deve ser prestado e administrado por entidades públicas", salientou o presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Roberto D'Ávila. (ouça a entrevista)

Para o presidente da Federação Nacional dos Médicos (FENAM), Cid Carvalhaes, também presente no evento, o texto reforça a posição da FENAM de que as terceirizações são danosas à eficiência do pleno atendimento à população brasileira, bem como prejudiciais na preservação das condições de trabalho e remuneração adequada do médico.

"É um texto que efetivamente deixa claro que os médicos brasileiros não se sentem em nada agradados e nem contemplados com essa prática abusiva de transferência de responsabilidades da gestão pública para a gestão privada", destacou Carvalhaes.

A decisão foi tomada no I Encontro de Conselhos de Medicina de 2011 realizado em Goiânia no período de 17 a 19 de março p.p. Leia a íntegra do documento.


Fonte: FENAM

sábado, 26 de março de 2011

II Encontro de Museus da Medicina será em Goiânia

Em parceria com a Universidade Federal de Goiás, a Federação Nacional dos Médicos realizará, nos dias 8, 9 e 10 de setembro, em Goiânia, o II Encontro Nacional de Museus de História da Medicina. O presidente da FENAM, Cid Carvalhaes, se reuniu em com o diretor da Faculdade de Medicina da UFG, Vardeli Alves de Moraes, para viabilizar a parceria. Do encontro participaram ainda Eduardo Santana, II vice-presidente da entidade, o Secretário Geral, Mario Antonio Ferrari, e o Secretário de Comunicação, Waldir Cardoso, coordenador da Rede Nacional de Museus de História da Medicina (RNMHM), criada pela Federação no ano passado.

A jornalista Denise Teixeira conversou com o diretor da Faculdade de Medicina da UFG sobre o assunto e ele ressaltou a importância do evento tanto para a universidade quanto para a Federação Nacional dos Médicos. Ouça

Em entrevista à jornalista Taciana Giesel, o presidente da FENAM, Cid Carvalhaes, também destacou a importância da parceria com a Universidade de Goiás. Ouça

Para Waldir Cardoso, coordenador da Rede Nacional de Museus de História da Medicina, o II Encontro de Museus de História da Medicina possibilitará o fortalecimento e a ampliação da RNMHM. Ele acrescentou que uma das metas da FENAM é viabilizar a qualificação de profissionais para trabalhar na preservação da história da medicina, possibilitando, assim, que o público em geral tenha acesso a todo o acervo disponível sobre a profissão mais antiga e conhecida no mundo.

"O objetivo principal é fazer com que toda a população possa conhecer objetos, obras literárias e de artistas plásticos, entre outras peças, que contam não apenas a história da medicina, mas também a própria história do Brasil e a FENAM está dando a sua contribuição no sentido de preservar a memória da medicina, do trabalho médico e da saúde do nosso país", concluiu Waldir Cardoso.


Fonte: FENAM

quinta-feira, 24 de março de 2011

Comissão de Assuntos Políticos visita parlamentares na Câmara



[caption id="attachment_4197" align="alignleft" width="300" caption="Integrantes da CAP no gabinete da Deputada Jandira Feghali"][/caption]

A Comissão de Assuntos Políticos (CAP) esteve na Câmara dos Deputados nesta quarta-feira, 23, em visita de cortesia a parlamentares, e também solicitando apoio às demandas do movimento médico nacional relacionadas aos projetos de lei envolvendo a área médica que tramitam no Congresso.

"Foi uma visita de cortesia", disse o secretário de Comunicação da FENAM, Waldir Cardoso, acrescentando que a comissão esteve com os deputados Eleuses Paiva (DEM-SP), Nazareno Fonteles (PT/PI), Paulo César PR/RJ), Ságuas Moraes (PT/MT), Damião Feliciano (PDT/PB), Inocêncio Oliveira (PR/PE), e Jandira Feghali (PC do B/RJ). "A CAP saudou o retorno da deputada Jandira Feghali ao Congresso, pois ela é uma referência na luta da saúde", acentuou o dirigente da FENAM.

Na visita ao deputado Paulo César, a comissão manifestou apoio ao mérito do projeto de lei 5359/2009, que dispõe sobre o piso salarial profissional da categoria farmacêutica. A tramitação do projeto reforça a reivindicação dos médicos, que também têm seu PL estabelecendo o salário mínimo profissional.

No gabinete do deputado Inocêncio Oliveira, o parlamentar lembrou o seu projeto que institucionaliza a CBHPM, que foi aprovado por unanimidade na Cãmara e que está há quatro anos no Senado sem votação. "É um projeto prioritário para as entidades médicas nacionais", conclui Waldir Cardoso.

A Comissão de Assuntos Políticos é formada por dirigentes da FENAM, do Conselho Federal de Medicina e da Associação Médica Brasileira.


Fonte: FENAM

quarta-feira, 23 de março de 2011

Endoscopistas param no dia 07 de abril

A Diretoria da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED),  vem através desta, manifestar total apoio ao justo movimento das entidades médicas,  denominado Dia Nacional de Paralisação do Atendimento aos Planos de SAÚDE, marcado para o próximo 7 de abril, data em que é comemorado o Dia Mundial da Saúde.

Estamos encaminhando material a todos os nossos associados, a todos os presidentes das Unidades Estaduais para que div ulguem o material em seus estados e a nossa posição a todas as sociedades de especialidades médicas.

Atenciosamente,

Dr. Sérgio Luiz Bizinelli
Presidente da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED


Dr. Jimi Scarparo
Secretário da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva - SOBED

Fonte

: CFM

Ortopedistas também vão parar por remuneração profissional digna

A Diretoria da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – SBOT – decidiu, por unanimidade, recomendar aos 10 mil associados de todos os Estados brasileiros que não realizem consultas nem cirurgias marcadas pelas empresas de seguro-saúde no dia 7 de abril. A decisão foi tomada em apoio à paralisação por um dia convocada pela Associação Médica Brasileira e o Conselho Federal de Medicina, dentre outros, como forma de pressão contra o crescente aviltamento do valor pago pelas consultas médicas.


A convocação é para que “sejam suspensos o atendimento aos planos e seguros de saúde em 7 de abril, Dia Mundial da Saúde, não se realizando consultas nem outros procedimentos médicos, marcando-se nova data para atender aos pacientes pré-agendados”.


Ao anunciar a decisão, o presidente da SBOT, Osvandré Lech, disse que o engajamento da categoria ao movimento “é total e irrestrito e a população entenderá o motivo”, pois é inadmissível que desde  2003 os planos de saúde tenham sido autorizados a aumentar em 129% o que cobram de seus segurados, tendo porém aumentado em apenas 44% o valor das consultas médicas.


Para Osvandré Lech, numa especialidade de evolução constante como a Ortopedia, o médico é obrigado a se manter atualizado, a acompanhar a progressiva complexidade tecnológica, a adquirir instrumental aperfeiçoado, a fazer cursos de educação continuada e a participar de congressos, o que implica em despesas que ele não pode assumir se recebe pagamento irrisório. Leia mais: AQUI


 

quinta-feira, 17 de março de 2011

Terceirização e Formas de Gestão Pública

Existem várias formas de gestão pública. A administração direta, onde o Estado atua sem intermediários. A administração indireta do Estado que é o conjunto de pessoas administrativas, vinculadas à administração direta, que executam atividades descentralizadas quando o Poder Público não pretende executar a atividade através de seus próprios órgãos. Existem formas de relacionamento do Estado com entidades do setor social, às vezes genericamente designadas de terceiro setor. O Estado atua através de terceiros. No escopo da ordem social encontramos as Organizações, Sociais (OS), Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), Fundações de Apoio, dentre outras.


As Organizações Sociais são entidades civis sem fins lucrativos, reguladas pela Lei nº 9.637/98. É uma associação privada, instituída por particulares, qualificada como parceira pelo Poder Público. Tem personalidade jurídica de direito privado e seus estatutos devem estar adequados ao novo código civil. A qualificação como OS permite que a organização receba recursos orçamentários e administre serviços, instalações e equipamentos do Poder Público, após ser firmado um Contrato de Gestão com o Governo. Dentre os requisitos para qualificação está previsão no estatuto social da finalidade não-lucrativa e da obrigatoriedade de investimento dos excedentes financeiros no desenvolvimento das próprias atividades. Regime de Emprego Celetista. Não realiza concurso público. Demite sem critérios. Muitas OS obrigam os médicos a constituir pessoa jurídica para contratação, a quarteirização (delegação da gestão de atividades terceirizadas). Leia mais: TERCEIRIZAÇÃO e FORMAS DE GESTÃO PÚBLICA

sábado, 5 de março de 2011

Angiologia e de Cirurgia Vascular antecipa movimento para o dia 07/04

A Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV) decidiu antecipar o movimento nacional do dia 27 de abril para o dia 7, para se unir ao protesto nacional da saúde suplementar, decidido em reunião entre todas as sociedades de especialidade em fevereiro. As entidades querem que os planos de saúde adotem a CBHPM plena.


O debate foi com a Comissão de Saúde Suplementar e a Comissão Nacional de Consolidação e Defesa da CBHPM. Os médicos que lotaram o auditório da Associação Médica Paulista apontaram o dia 7 de abril como o de protesto nacional contra os planos de saúde. Na data se comemorar o Dia Mundial da Saúde.


Movimento da SBACV
A paralisação nacional da SBACV é em defesa do médico, para exigir implantação plena da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM), e do paciente, para garantir que o uso de órteses, próteses e materiais endovasculares para cirurgias seja autorizado sem imbróglios.


Durante os meses de dezembro e janeiro, as regionais da SBACV enviaram proposta de implantação da CBHPM para toda a saúde suplementar sem sucesso. Nenhum presidente de regional recebeu retorno dos convênios quanto às solicitações expressas nos ofícios enviados. Ao longo de 2010, os médicos de cada estado já haviam se reunido em Fóruns para discutir a melhoria dos honorários e foi iniciada a Campanha Nacional de Defesa Profissional, em dezembro.


A SBACV decidiu ainda que encaminhará à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) uma solicitação de inserção na tabela do TUSS (Terminologia Unificada em Saúde Suplementar) os valores em reais (R$), de acordo com os valores da CBHPM e com reajuste anual. Os médicos querem que os planos adotem a CBHPM plena que, de acordo com o Conselho Federal de Medicina (CFM), representa o valor mínimo de remuneração médica.


Fonte: Blog Médico

sexta-feira, 4 de março de 2011

Fenafar se reúne com Ministro da Saúde

Na última quinta-feira, 03 de março, a Federação Nacional dos Farmacêuticos foi recebida pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha. A Fenafar entregou para o ministro uma carta com as principais reivindicações dos farmacêuticos. Entre os temas em pauta a inclusão do farmacêutico nas equipes multidisciplinares de saúde e a presença deste profissional das Unidades Básicas de Saúde, para garantir, assim, a correta dispensação dos medicamentos aos usuários do SUS.


A Fenafar também pediu apoio do ministério para garantir a aprovação do substitutivo ao PL 4385/94 que dispõe sobre a farmácia como estabelecimento de saúde, que “somado as medidas que o Ministério vem tomando ao longo do tempo para a estruturação da Assistência Farmacêutica, a aprovação do Projeto de Lei constitui-se em importante anteparo para que projetos como Farmácia Popular possam de fato significar um fortalecimento do SUS e não o contrário, um possível desvirtuamento, ameaça real que precisa ser enfrentada”, explicitou a entidade em documento entregue ao ministro.

Outro assunto pautado foi a necessidade de o país investir mais na produção nacional de medicamentos e a luta contra as patentes pipeline.

Segundo Célia Chaves, presidente da Fenafar, o encontro foi muito produtivo e importante para estabelecer o diálogo entre governo e a entidade representante dos trabalhadores, principalmente porque o ministro se mostrou receptivo às nossas reivindicações e se comprometeu a apoiar as questões apresentadas pela entidade.


Fonte: FENAFAR

quinta-feira, 3 de março de 2011

CAP visita parlamentares médicos no Congresso



[caption id="attachment_4160" align="alignleft" width="300" caption="CAP com o Deputado Eduardo Barbosa"][/caption]

A Comissão de Assuntos Políticos (CAP) esteve no Congresso Nacional nesta terça e quarta-feira, 1 e 2, visitando deputados e senadores com o objetivo de aproximar as entidades médicas dos parlamentares. A comissão, formada por dirigentes da FENAM, Conselho Federal de Medicina e Associação Médica Brasileira, teve a oportunidade de falar com os parlamentares sobre projetos de interesse da categoria médica, como o que dispõe sobre a ampliação da participação dos profissionais de saúde na perícia da Previdência Social, entre outros.

Waldir Cardoso, secretário de Comunicação da FENAM, um dos membros da CAP, afirmou que o objetivo da comissão é estender esse tipo de estratégia e abordagem também às Assembleias Legislativas. "Nossa meta é construir as CAP´s estaduais e envolver os médicos na defesa dos interesses da saúde e da categoria", ressaltou.

O dirigente da FENAM informou que a visita ao Congresso começou pelos parlamentares médicos. Um total de 26 deputados e senadores que são profissionais de medicina já foram visitados, segundo Waldir Cardoso, e a meta é que todos os 45 parlamentares médicos possam receber os integrantes da CAP até abril.

"Na conversa, apresentamos o trabalho da Comissão de Assuntos Políticos, informamos sobre a elaboração da agenda parlamentar e sua disponibilidade nos sites das entidades, e convidamos para um café da manhã, que será promovido pelas entidades médicas no dia 13 de abril, com todos os parlamentares médicos", informou o dirigente da FENAM, acrescentando que a CAP recebeu com satisfação a manifestação de alguns parlamentares, como o deputado Ronaldo Caiado, que afirmou que pela primeira vez teve apoio dos médicos em sua campanha.


O representante do Conselho Federal de Medicina, Wirlande da Luz, comentou que a receptividade dos médicos parlamentares tem sido a melhor possível. Isso significa que estamos no caminho certo", acentuou o dirigente do CFM

Além de Waldir Cardoso e Wirlande da Luz, participaram da visita aos deputados federais e senadores os representantes da AMB, José Luis Mestrinho, do CFM, Alceu Pimentel, e o assessor parlamentar Napoleão Sales. Leia mais.


Fonte: FENAM


 

7 de abril: Carta da SBP aos pediatras

Aos presidentes das Sociedades de Pediatria dos estados e do Distrito Federal


Caro colega,


Os esforços que vimos desenvolvendo por melhoria na remuneração e nas condições de trabalho dos pediatras vêm somando conquistas. Desde julho de 2009, quando marcamos o Dia do Pediatra com mensagens do então presidente da SBP às filiadas, aos associados (com inúmeros retornos) e publicamos carta à população; quando os colegas de Brasília e a Sociedade de Pediatria do Distrito Federal, mobilizados, demonstraram às empresas que não aceitam desrespeito, mais que vitórias traduzidas nos valores de consultas, temos conseguido a recuperação da auto-estima e da consciência de nossa força e capacidade de articulação. Nosso movimento continua se ampliando, várias Sociedades de Pediatria têm recorrido às estratégias de paralisação do atendimento pelas guias dos convênios e descredenciamento, nos casos em que as empresas são irredutíveis nas negociações. Em todo o processo, a unidade com as demais entidades médicas, o apoio dos colegas tem sido fundamental.


Se por um lado, o desrespeito dos planos e seguradoras de saúde continua, por outro, a disposição de luta vem contagiando todos os médicos. A decisão da AMB, do CFM e da FENAM, que estão convocando paralisação do atendimento aos usuários das empresas para 07 de abril tem nosso irrestrito apoio e contará com nossa ativa participação. Encaminho, a seguir, o texto das entidades médicas sobre as estratégias planejadas e a carta à população. Vamos nos reunir com os colegas em cada estado e preparar um grande movimento. Peço o firme envolvimento de cada filiada e adianto que é total o da diretoria da SBP.


 


Um abraço fraterno,


Eduardo da Silva Vaz.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Médicos-Residentes de São Paulo têm 22% de reajuste

A Secretaria de Estado da Saúde vai reajustar em 22% o valor das bolsas pagas aos cerca de 5 mil médicos residentes que atuam em hospitais estaduais e instituições que possuem convênio com o SUS. O benefício vai de R$ 1.916,46 para R$ 2.338,06.

O investimento do governo prevê ainda a ampliação do programa e mais 203 vagas, chegando a um total de 5.051. O impacto anual na folha salarial foi calculado em cerca de R$ 32,2 milhões. O valor anual gasto vai subir de R$ 115,3 milhões para R$ 147,5 milhões.

Os residentes matriculados em instituições próprias da Secretaria recebem o valor integral do benefício. Aos matriculados em autarquias e instituições conveniadas ou vinculadas, o Estado paga 84,8% da bolsa e as próprias instituições arcam com os 15,2% restantes.

Experiência para fora

Ao assinar o decreto que fixou o reajuste, o governador Geraldo Alckmin destacou a relevância dos residentes formados no Estado. "Praticamente 30% vêm de fora, faz a residência e volta para os seus Estados de origem", afirmou.


Fonte: DESTAK

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

stats

redes

    

Blog do médico paraense Waldir Cardoso dedicado a discutir sobre saúde, política e cidadania. Seja bem vindo/a

Vídeos

Vídeos

Waldir e Saúde no Brasil vídeo

Vídeos

Arquivo

Arquivo

Busca

Busca
Tecnologia do Blogger.

Categorias

Categorias

Estatísticas

Estatísticas

Contador

Contador de visitas

clustrmaps