quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Manifesto das entidades médicas sobre a situação da Santa Casa do Pará



MANIFESTO



 O Sindicato dos Médicos do Pará e a Sociedade Médico-Cirúrgica do Pará e suas Sociedades Especializadas vêm em conjunto e publicamente repudiar a conduta do Senhor Governador do Estado do Pará e do Senhor Secretário de Saúde do Estado que, procederam de forma arbitrária e prematura imputando culpa a profissional médica e a Presidente da Santa Casa de Misericórdia do Pará pela dificuldade no atendimento da paciente, mãe de dois gêmeos nascidos mortos na data de ontem, 23 de agosto de 2011;


 As entidades médicas, também, repudiam a conduta do Senhor Promotor Militar do Estado que se pronunciou na imprensa, mais uma vez, orientando os militares estaduais a conduzir médicos à delegacias de polícia sempre que julgarem conveniente e houver indício de omissão de socorro segundo seus arbítrios;


 As entidades médicas esclarecem que:




  1. Se manterão unidas na defesa intransigente das prerrogativas dos médicos, inclusive para o exercício livre da profissão, respeitando todos os princípios éticos profissionais e humanos;

  2. Acompanharão e ajudarão com isenção nos esclarecimentos dos fatos ocorridos no dia de ontem, especialmente, municiando o Ministério Público de informações que ajudem a elucidar a responsabilidade do Estado sobre os fatos e se solidariza com a paciente e sua família que são vitimas desta gestão de saúde;

  3. Os fatos envolvendo dificuldade no atendimento de pacientes e más condições de trabalho dos médicos, está relacionada principalmente com a má gestão das normas reguladoras que, inclusive, tem sido matéria discutida exaustivamente em reunião com o Ministério Público, Município de Belém e com o Estado, sem, contudo, ser respeitada principalmente pelo ESTADO nas suas Unidades de Saúde, o que, na maioria das vezes resulta na responsabilização do médico;

  4. Sempre e em qualquer circunstancia reafirma o respeito ao princípio constitucional do contraditório por uma questão de segurança jurídica e de justiça;

  5. Que a partir desta data e, dada as condições de tratamento dispensadas aos médicos no Estado do Pará, as entidades se manterão em assembléia permanente para avaliar os rumos futuros.


  

3 comentários:

  1. Aloisio Daher de Melo24 de agosto de 2011 14:37

    I Estes desagradáveis e ultrajantes fatos levarão os médicos a evitar trabalhar para o Estado,piorando a já tão precária saúde pública.Os médicos já não são os donos da saúde,foram substituídos por promotores que acham que levar o médico para a delegacia é a melhor atitude para se melhorar o atendimento.Se fossem viris prenderiam o Governador,os deputados,os secretáriio de saúde e de finanças.Cabrões!

    ResponderExcluir
  2. Fato: o bombeiro cresceu pra cima da doutora... Alguém sabe se ele prendeu algum político famoso envolvido com propina ou outra maracutáia? Se ele deu voz de prisão a algum outro contraventor?? NÃO!!! Só fez isso contra a doutora que estava no plantão e nem tinha intenção de fugir pra algum paraíso fiscal. Esse é o fato!!!

    ResponderExcluir
  3. Triste realidade.... prendem as vitimas,deixam soltos os criminosos.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

stats

redes

    

Blog do médico paraense Waldir Cardoso dedicado a discutir sobre saúde, política e cidadania. Seja bem vindo/a

Vídeos

Vídeos

Waldir e Saúde no Brasil vídeo

Vídeos

Arquivo

Arquivo

Busca

Busca
Tecnologia do Blogger.

Categorias

Categorias

Estatísticas

Estatísticas

Contador

Contador de visitas

clustrmaps