terça-feira, 23 de agosto de 2011

Nota Oficial do SINDMEPA

 


NOTA OFICIAL


O Sindicato dos Médicos do Pará (Sindmepa) não vai aceitar que a categoria seja utilizada como bode expiatório dos graves problemas que atingem o sistema público de saúde. Médico não é bandido e polícia tem como função prender bandido, não gente que tenta realizar a sua tarefa da melhor maneira possível, apesar da precariedade das condições de trabalho.


Sobre o episódio ocorrido na manhã desta terça-feira, 23, na Santa Casa de Misericórdia do Pará, quando médicos receberam voz de prisão de um bombeiro militar, ao tentar explicar que não havia leito disponível para atender uma paciente – medida essa determinada pela própria direção do hospital –, o Sindmepa informa que vai dar todo o apoio jurídico e institucional aos colegas envolvidos e que vai procurar, novamente, as autoridades de segurança do Estado, a fim de discutir, mais uma vez, a caracterização da chamada omissão de socorro, porque, se a interpretação sobre o tema continuar desvirtuada como está, ficará inviável para a categoria continuar a trabalhar no sistema público, especialmente na urgência e emergência, sob pena de, todos os dias, termos médicos sendo detidos como bandidos, coisa que não são.


Essa situação não é inédita. No mês de julho passado, outros colegas, que trabalhavam em uma clínica vinculada ao Sistema Único de Saúde (SUS) foram ameaçados de prisão por bombeiros militares que tentaram, à força, fazer com que um paciente fosse operado, quando não havia ali nem bloco cirúrgico disponível. Na ocasião, o Sindmepa buscou a Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup) e manifestou preocupação em relação a uma possível repetição desse fato. Foi o que, infelizmente, acabou acontecendo, já que nenhuma providência foi tomada.


Quem tem que prover leitos para atender a população não é a categoria médica, mas sim, os gestores da saúde. A esse profissional cabe apenas prestar atendimento clínico. Por isso, o Sindmepa lamenta o ocorrido e conclama as autoridades responsáveis para que tomem o caso como um mote para discutir seriamente a saúde no nosso Estado, buscando oferecer melhores condições de trabalho e remuneração não só à categoria médica, mas a todos os profissionais da saúde.


O Sindmepa reitera, ainda, que vai aguardar a apuração dos fatos, garantindo aos colegas médicos o amplo direito de defesa e chamando a categoria para, em breve, realizar uma assembléia geral, na qual deverão ser discutidos esses graves problemas que não só estão afetando a imagem da categoria, como também contribuindo para uma precarização ainda maior do sistema público de saúde.


Diretoria Colegiada

11 comentários:

  1. Talvez por ser o medicina um sacerdócio e o local de trabalho da médica ser uma Santa Casa, os cidadãos esperassem por milagres da ginecologista... Porque a reportagem não foi atrás da prefeitura ou do governo? Esses sim... todo tempo distribuem santinhos e prometem os milagres!

    ResponderExcluir
  2. Francisco Ferreira de Sousa Filho23 de agosto de 2011 19:16

    Perfeito Waldir, chega de assumirmos as mazelas do sistema.

    ResponderExcluir
  3. Amanhã os acadêmicos de medicina da Universidade Federal do Pará realizarão um protesto em frente a Santa Casa de Misericórdia as 10:30 para defender a classe médica dos julgamentos equivocados da mídia.

    ResponderExcluir
  4. Lais, informem o SINDMEPA para que um diretor participe em apoio à manifestação. Estou em Brasília neste momento, senão com certeza estaria com vcs.

    ResponderExcluir
  5. Waldir, sugiro passar recado para toda asociedade: no local no qual médico sofrer algum tipo de violência (e voz de prisão, ou a própria prisão por abuso de autoridade), o atendimento por médicos será suspenso.
    A experiência tem mostrado, infelizmente, que só diante de atitudes drásticas é que passam a nos respeitar.

    Jordão

    ResponderExcluir
  6. Obrigada pelo apoio Dr. Waldir,com certeza entraremos em contato com o SINDMEPA.

    ResponderExcluir
  7. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  8. Valeu, Jordão. Obrigado pela sugestão.

    ResponderExcluir
  9. Concordo que é um equivoco tentar colocar culpa por um problema no sistema em cima de um ou Mais médicos que participaram da situacao. Discordo que a sociedade enxergue que o problema está caracterizado desta forma, e que os governos nao tenham a maior parcela de culpa neste e em outros problemas que nao tenham vindo a tona.

    Mas gostaria de saber se fosse dentro de um aviao, Queria saber se Os profissionais iriam realizar o mesmo procedimento feito.

    No Mais, Acho que o papel dos sindicatos em geral é esse, defender.

    ResponderExcluir
  10. O Médico também não poderia fazer MILAGRE dentro de um AVIÃO. Ah! e existe restrições a viagens para mulheres grávidas. Interessante que a culpa do governo passou a ser culpa do médico!! haja paciência!!!!

    ResponderExcluir
  11. A DOENÇA DA SAÚDE NO BRASIL

    Gente!!!! Não deixem a Rede Globo mudar o foco do Brasil para o Belém!! A Saude está uma merda no Brasi linteiro (No RJ e em SP, que é base da Globo, ela não resolveu nada, com o seu sensacionalismo)!! Porem, dentro dessa tragedia descobrimos os herois, que com baixos salários e mesmo em situações adversas cuprem com o seu juramento! PARABENS AO BOMBEIRO, QUE DEU VOZ DE PRISSÃO A UMA MEDICA, que não cumpriu com seu juramento!! Para tirar um 10, ele teria que dar voz de prissão para todos os governantes, que tambem não cumprem com seus deveres! Só que isso,já é utopia!!(A.R.)

    .

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

stats

redes

    

Blog do médico paraense Waldir Cardoso dedicado a discutir sobre saúde, política e cidadania. Seja bem vindo/a

Vídeos

Vídeos

Waldir e Saúde no Brasil vídeo

Vídeos

Arquivo

Arquivo

Busca

Busca
Tecnologia do Blogger.

Categorias

Categorias

Estatísticas

Estatísticas

Contador

Contador de visitas

clustrmaps