quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Marcha pela esplanada abre a 14ª Conferência Nacional de Saúde

Hoje a tarde participei da marcha de abertura da 14ª Conferência Nacional de Saúde. A atividade reuniu milhares de pessoas e centenas de entidades em torno da luta pela implementação do SUS constitucional e, no curto prazo, pela aprovação da regulamentação da EC 29, que está no Senado e na pauta de votação. Ou seja, está na "boquinha".
Mais de 20 lideranças médicas, de vários estados, participaram da caminhada. A FENAM registrou a manifestação de alguns de seus diretores presentes:
“Os médicos unificam a bandeira de luta com os movimentos sociais e com toda a sociedade brasileira, no sentido de tentar garantir o financiamento adequado do Sistema Único de Saúde. A FENAM, o CFM e a AMB fazem coro com a sociedade brasileira neste sentido", destacou o 2º vice-presidente da FENAM, Eduardo Santana.


Durante uma caminhada que teve início na Catedral de Brasília e seguiu até o Congresso Nacional, os manifestantes pediram pelo fim do sucateamento do Sistema Único de Saúde e pela regulamentação da Emenda 29, com 10% das receitas brutas da União destinadas ao setor saúde.


Cerca de R$32 bilhões a mais do que é investido hoje seriam, obrigatoriamente, destinados ao orçamento do SUS com a regulamentação da Emenda, de acordo com o texto do Senado, que é o defendido pelos manifestantes. O governo, que atualmente investe entre 6% e 7% no setor, vem conseguindo adiar a votação no Senado.


"Há uma resistência do governo quanto aos 10% da União para a aprovação. O governo quer a proposta que veio da Câmara, que não acrescenta em nada os recursos para a saúde. O que as entidades médicas defendem é a proposta do senador Tião Viana, que vincula os 10% da União como o mínimo para a saúde," defendeu o secretário de Saúde Suplementar da FENAM, Márcio Bichara.


"A terceirização é uma distorção grave que está em todo o Brasil e nós entendemos que isso prejudica o SUS, porque tira efetivamente da mão do Estado a gestão e a gerência das unidades e, por esse motivo, a FENAM é frontalmente contrária a qualquer tipo de terceirização," relatou o secretário de Comunicação da FENAM, Waldir Cardoso.


"A FENAM participa da luta contra a privatização das unidades de saúde deste país, contra a transferência de responsabilidade de gestão do SUS. É fundamental que o SUS seja devolvido ao povo brasileiro", complementou o vice-presidente da entidade, Eduardo Santana.”


A marcha encerrou com um ato público realizado em frente ao Congresso Nacional. Representantes de Entidades sindicais e populares e parlamentares ligados a saúde discursaram. Tive oportunidade de me pronunciar em nome do CFM e Erivalder Guimarães falou pela FENAM.



Matéria completa no portal da FENAM



0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

stats

redes

    

Blog do médico paraense Waldir Cardoso dedicado a discutir sobre saúde, política e cidadania. Seja bem vindo/a

Vídeos

Vídeos

Waldir e Saúde no Brasil vídeo

Vídeos

Arquivo

Arquivo

Busca

Busca
Tecnologia do Blogger.

Categorias

Categorias

Estatísticas

Estatísticas

Contador

Contador de visitas

clustrmaps