quinta-feira, 28 de junho de 2012

Seminário discute Financiamento da Saúde, REVALIDA e Carreira de Estado para Médicos

O Senador Paulo Davim e o Deputado Eleuses Paiva realizaram ontem um Seminário sobre Financiamento da Saúde Pública que também discutiu a revalidação de diplomas médicos obtidos no exterior e a Carreira de Estado para médicos. Na abertura do seminário contou com a presença dos deputados Luiz Henrique Mandetta (DEM- MS) e Darcísio Perondi (PMDB-RS) e, na parte da tarde, da Deputada Elcione Barbaho (PMDB-PA).


Criar duas comissões especiais, uma no Senado e outra na Câmara, para analisar dois Projetos de Lei que destinam 10% das receitas correntes brutas da União à saúde foi um dos encaminhamentos do Seminário.


O deputado Eleuses Paiva (PSD-SP) explicou os próximos passos que pretendem acelerar a votação no Congresso, até o final do ano, para obter um financiamento adequado ao setor.


"Vamos solicitar a criação de duas comissões nas casas para os dois projetos de lei, um de autoria minha e outro do deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), ambos que recompõem a base de cálculo com 10% da receita corrente bruta. Com isso, as matérias já são apreciadas e vão à plenária, diferentemente do que ocorre em tramitação normal, na qual passa por no mínimo três comissões. A ideia é abreviar a discussão para que as matérias sejam votadas até o final do ano".


O deputado ainda completou que o Projeto de Lei de Iniciativa Popular, encabeçado pelas entidades médicas e pela Ordem dos Advogados do Brasil, continua sendo o maior esforço da sociedade civil, e uma vez chegando ao Congresso, terá preferência na tramitação em relação às demais matérias.


O tema também foi abordado pelo palestrante Sérgio Francisco Piola do IPEA, que demonstrou dados que comparam o investimento em saúde de países internacionais e no Brasil. Ele ressaltou que apesar dos recursos no setor serem crescentes nos últimos anos, não foi suficiente para as necessidades do povo brasileiro.


No período da tarde, a discussão em tela foi sobre a revalidação de diplomas médicos obtidos no exterior e sobre a Carreira de Estado para Médicos. Eleuses e Davim relataram a iniciativa de ingressar com projetos semelhantes na Câmara e no Senado tornando o REVALIDA a única forma de convalidação de diplomas médicos no exterior. A simultaneidade da iniciativa acelera a tramitação e dificulta manobras protelatórias de adversários.


O professor Milton de Arruda Martins, da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), por meio de dados, explicou a importância do exame que busca equiparar os conhecimentos dos médicos formados no exterior com os brasileiros. Devido ao baixo nível de aprovação, ele afirmou:
"A prova contém o que o médico deve saber fazer e calibra com as habilidades exigidas aqui. Na minha posição como pessoa que acompanhou a elaboração e aplicação do Revalida, digo que a formação exterior não é adequada, os candidatos tinham preparo insuficiente".


A Carreira de Estado foi abordada pelo presidente eleito da FENAM Geraldo Ferreira. Eleuses explicou que a PEC já foi aprovada na Comissão de Constituição e Justiça e aguarda a instalação da Comissão Especial que ira avaliar o mérito da emenda.


Fonte: FENAM     

4 comentários:

  1. Não concordo com o Professor Milton Arruda Martins quando cita que a formação exterior não é adequado. O que significa exterior ? resto do mundo?. Acredito que pelo que já li sobre o professor Milton, que já fez cursos e tem varias parcerias com instituições europeias , conhecerá bem a formação que temos aqui na Europa. Em todo caso e como já mencionei em comentario anterior sou completamente a favor do revalida mas convenhamos que um colega que exerce a profissão de ortopedista ha muitos anos ao ter que se submeter a um exame que engloma GO e pediatria com certeza é diferente de um recem formado.

    OBS. Aproveito aqui para me retratar com o Dr Waldir pois a sua informação sobre a nota de corte do reavalida estava correta e a minha fonte é que estava equivocada por isso peço desculpas pelos comentários anteriores. Avaliei com calmo o exame do ano passado e realmente o grande problema foi o tempo e nao a dificuldade do exame, eram questões longas para pouco tempo. Abraços

    ResponderExcluir
  2. Palavras do professor Milton Arruda Martins
    “A prova contém o que o médico deve saber fazer e calibra com as habilidades exigidas aqui. Na minha posição como pessoa que acompanhou a elaboração e aplicação do Revalida, digo que a formação exterior não é adequada, os candidatos tinham preparo insuficiente”.
    Gostaria de saber o que o professor Milton quer dizer com a formação exterior é inadequada. Resto do mundo?. Bom vou comentar essa colocaçao com uma reportagem do fantastico. Abaixo segue o link para os interessados.

    http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL1681247-15605,00-PACIENTES+E+ALUNOS+SOFREM+COM+ESTADO+PRECARIO+DE+HOSPITAIS+UNIVERSITARIOS+P.html

    Aproveito tambem e deixo o endereço da minha universidade para que conheçam um pouco do que que é aprender medicina em um País de Primeiro Mundo. E que sirva de lição que na vida nao podemos generalizar . Abraço

    www.uca.es

    ResponderExcluir
  3. Valeu, Glauber. Forte abraço. Continue acompanhando o Blog e contribuindo.

    ResponderExcluir
  4. Tens razão, Glauber. É muito ruim generalizar.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

stats

redes

    

Blog do médico paraense Waldir Cardoso dedicado a discutir sobre saúde, política e cidadania. Seja bem vindo/a

Vídeos

Vídeos

Waldir e Saúde no Brasil vídeo

Vídeos

Arquivo

Arquivo

Busca

Busca
Tecnologia do Blogger.

Categorias

Categorias

Estatísticas

Estatísticas

Contador

Contador de visitas

clustrmaps