quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Ministério da Saúde quer avaliação de alunos de medicina a cada 2 anos

Noticia publicada ontem na Folha de São Paulo vai ao encontro de proposta defendida pelas entidades médicas desde o último Encontro Nacional e exposta por mim aqui no blog no dia 09.09.2012 em artigo intitulado "Um repto em defesa da sociedade". No meu artigo  critiquei a adoção da prova obrigatória para egressos das faculdades de medicina paulistas por parte do Conselho Regional de Medicina de São Paulo e defendi o teste de progresso como medida mais justa e eficaz para melhorar a qualidade de ensino médico no país. Agora o Ministério da Saúde passa a defender a proposta o que é muito auspicioso e nos dá alguma esperança. Os testes de progresso, aplicados ao longo do processo de formação, não são novidade e já funcionam em escolas de medicina fora do Brasil, como expôs o professor da Maastricht University (Holanda), Carlos Fernando Collares, durante o II Congresso Brasileiro de Políticas Médicas promovido pelo Conselho Federal de Medicina e realizado na cidade do Rio de janeiro.


Vejam a matéria:


"Alunos do curso de medicina podem ser submetidos a uma prova a cada dois anos, como forma de medir a qualidade da instituição de ensino. Essa é a proposta defendida pelo Ministério da Saúde, que já levou a ideia ao Ministério da Educação.


O "exame de progresso", como disse o ministro Alexandre Padilha (Saúde), seria aplicado ao final do 2º, 4º e 6º ano da graduação. "Não podemos abrir mão da qualidade da formação médica", afirmou o ministro em coletiva de imprensa.


"Hoje o estudante de medicina faz o chamado Enade [Exame Nacional de Desempenho de Estudantes] no início do curso e no final, e passa todos os seis anos sem avaliação", justificou Mozart Sales, secretário de gestão do trabalho e da educação da pasta.


"Nós entendemos que uma avaliação mais de perto, seguida e mais continuada proporciona um olhar diferenciado sobre aquela formação que o estudante está sendo alvo, como também sobre o aparelho formador", completou.


O resultado do teste, disse o secretário, pode ter como consequências a redução de vagas no vestibular de medicina de uma determina instituição ou até mesmo a paralisação da oferta por um período. Sales afirmou que ainda não há um prazo para a adoção dos testes a cada dois anos, mas disse que o Ministério da Educação está "bem receptivo" à ideia."


Fonte: Folha de São Paulo                                     

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

stats

redes

    

Blog do médico paraense Waldir Cardoso dedicado a discutir sobre saúde, política e cidadania. Seja bem vindo/a

Vídeos

Vídeos

Waldir e Saúde no Brasil vídeo

Vídeos

Arquivo

Arquivo

Busca

Busca
Tecnologia do Blogger.

Categorias

Categorias

Estatísticas

Estatísticas

Contador

Contador de visitas

clustrmaps