domingo, 9 de dezembro de 2012

CFM se posiciona sobre a prova do CREMESP

CFM 2De forma elegante, o Conselho Federal de Medicina (CFM) se posicionou sobre a iniciativa do CREMESP em obrigar os egressos dos cursos de medicina do estado de São Paulo a realizar a sua prova de suficiência. A autarquia federal divulgou a seguinte nota:
NOTA DO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA





  1. A iniciativa do Cremesp configura instrumento metodológico relevante para mensurar - de forma quantitativa - o nível do conhecimento obtido pelos egressos das escolas de medicina;

  2. Infelizmente, os resultados alcançados confirmam a suposição de que a qualidade da formação oferecida está abaixo do desejável, realidade constatada em São Paulo e que acreditamos é a mesma em todos os Estados;

  3. Como modelo ideal de avaliação do egresso, o CFM apoia a implementação no país de uma metodologia conhecida como teste de progresso, que prevê, entre outros pontos, a realização de exames no fim do segundo, do quarto e do sexto período, sempre com a preocupação de avaliar, simultaneamente, alunos, corpo docente, conteúdo pedagógico e até as instalações das instituições de ensino;

  4. No entanto, a melhora do nível do ensino médico não se esgota em avaliações semelhantes, mas na adoção de políticas públicas que impeçam a abertura de indiscriminada de cursos de medicina e o aumento do número de vagas naqueles já existentes.

  5. Atualmente, o Brasil possui 208 cursos médicos. No mundo, apenas a Índia, com 272 cursos e uma população seis vezes maior que a brasileira, possui mais.

  6. Este quadro não condiz com as preocupações humanitárias e sociais pertinentes à Saúde e à Medicina, pois atendem, principalmente, aos interesses econômicos e políticos de alguns setores da sociedade.

  7. O Governo – em todas as suas esferas – deve estar atento a esta realidade e apresentar propostas que contribuam para a qualificação dos cursos de medicina no país, demonstrando real preocupação com a população que conta com médicos bem preparados para se manter sua saúde e seu bem estar.


Para o CFM, o Brasil precisa urgentemente médicos bem formados, bem qualificados, bem capacitados e com plenas condições de fazer aquilo para o que se prepararam, assim como de políticas públicas – como a criação de uma carreira de Estado para o médico do SUS - que estimulem sua melhor distribuição e fixação nas áreas de difícil provimento, garantindo a cobertura dos vazios assistenciais.


Fonte: CFM


Tenho defendido que a iniciativa do CREMESP é deletéria para a imagem dos médicos e devasta com a medicina brasileira. As manchetes dos jornais paulistas e os comentários nas edições on-line destes periódicos comprovam isso. Vai gerar desconfiança na população e estimular denúncias contra médicos em todo o país. Semear a desconfiança sobre a qualidade do trabalho médico é uma iniciativa responsável?


O tratamento dado pelo CREMESP para os alunos que se recusaram a cumprir a absurda determinação negando a estes o direito líquido e certo de registrar, imediatamente, seus diplomas e fornecer o número de CRM é uma afronta à cidadania e postura  inaceitável. Como podem querer punir um não médico? Postergar o registro, prejudicando estes profissionais é uma atitude justa? Os colegas vão perder oportunidades de emprego e podem recorrer ao judiciário por danos morais.


Se o objetivo do CREMESP, como dizem seus próceres, é defender a sociedade dos médicos mal formados, porque não divulga o ranking das faculdades onde são formados os médicos avaliados pela tal prova? Esta pergunta permanece no ar e a resposta envolta nas brumas da omissão.


                         


P.S. Tendo em vista e em respeito à Nota de Esclarecimento publicada pelo Conselho Federal de Medicina em seu portal que em seu item 2 informa que "O uso da logomarca do CFM e dos CRMs só pode ser feita em informes oficiais, não podendo estar inserida em publicações de caráter pessoal, comercial ou institucionais sem a devida autorização por essas entidades" substitui a foto ilustrativa deste post que, originalmente, era a logo da autarquia. Como está claro no post, ratifico as opiniões aqui expressas são de caráter pessoal e não representam o pensamento do Corpo de Conselheiros do CFM.



8 comentários:

  1. Caio cesar bezerra da silva10 de dezembro de 2012 21:40

    Se o objetivo e proteger a sociedade de medicos ruins, pq os conselheiros do CREMESP nao fazem a prova? Pq nao se tornar uma obrigatoriedade periodica??

    ResponderExcluir
  2. Acho que nossa união, por meio da ORDEM DOS MÉDICOS DO BRASIL, é a única saída para termos força suficiente para vencermos tantas lutas. Como exemplo maior posso citar a lei do ato médico que há 10 anos tramita no legislativo e nas suas infindáveis comissões, mas ainda não está em vigor.
    Infelizmente a criação dessa OMB não é politicamente correta pois, ao unificar CFM, sindicatos, federações, associações, etc, retiraria muitos "caciques" médicos do poder.

    ResponderExcluir
  3. Concordo em partes. O governo deveria fazer seu papel em fiscalizar e aplicar as avaliações continuadas as escolas médicas o que preve as normas do MEC. O movimento médico luta a algum tempo por isso. Outra questão é a abertura de novas escolas médicas tanto publicas quanto privadas, sem estrutura alguma para formar médicos com qualidade. O Cremesp toma essa atitude antipática para a classe pois nos últimos anos aumentou o número de denuncias no CRM. Sabemos que a culpa não é do formando, mas sim do sistema que esta aí, mas esta atitude do Cremesp provoca uma discussão para o problema que é sério em nosso país.

    ResponderExcluir
  4. Jail Coelho de Almeida17 de dezembro de 2012 17:08

    Nao entendo vocês! se os medicos do exterior nao podem atuar no Brasil, nem ter seu diploma revalidado deforma automatica, porque segundo voces precisamos proteger a populacao dos medicos mau formados!!!! porque esta choradeira contra o cremesp? ele realizou somente uma prova que nao eliminou nem puniu nenhum candidato reprovado, ou seja mais da metade, agora imagina se fossem submetidos as provas de revalidacao!!!!!! parem de choradeira, e que seja criado o exame para obtenção do registro profissional dos medicos recem formados! vamos proteger a populacaodos medicos mau formados tanto do Brasil quanto do exterior!

    ResponderExcluir
  5. Quem deve proteger a população dos médicos mal formados no Brasil é o MEC.

    ResponderExcluir
  6. Jail Coelho de Almeida19 de dezembro de 2012 08:08

    Essa é sua opinião, tenho certeza que a populacao pensa como eu falei, e discordo tambem quando voce diz que o MEC é quem deve fiscalizar, pois os advogados tambem sao fiscalizados e pela OAB, porque com os medicos teria que ser diferente? voces enquanto metem o p.. nos medicos do exterior defenden os aqui formados se no final o proposito é defender a populacao! eu apoio exame de ordem para medicos recem formados

    ResponderExcluir
  7. E eu respeito sua posição. Abs.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

stats

redes

    

Blog do médico paraense Waldir Cardoso dedicado a discutir sobre saúde, política e cidadania. Seja bem vindo/a

Vídeos

Vídeos

Waldir e Saúde no Brasil vídeo

Vídeos

Arquivo

Arquivo

Busca

Busca
Tecnologia do Blogger.

Categorias

Categorias

Estatísticas

Estatísticas

Contador

Contador de visitas

clustrmaps