quarta-feira, 22 de maio de 2013

Onde estão os médicos do PROVAB 2013?


O governo da presidente Dilma Rouseff implantou o Programa de Valorização da Atenção Básica (PROVAB) como panaceia para colocar médicos nos chamados "vazios assistenciais". A proposta original - que garantia vínculo estável através de carteira assinada, direitos trabalhistas, garantia de condições de trabalho, preceptoria presencial, curso de especialização em Saúde da Família, bônus de 2,5% apenas para residencias de ingresso direto - foi mutilada. A remuneração foi transformada em Bolsa, o bônus de 10% aplicado de forma generalizada, não há preceptoria nem curso. Os cerca de 300 provabianos de 2012 correram para as especialidades mais disputadas e desequilibraram a disputa a seu favor. A notícia correu e 4.500 médicos estão no PROVAB 2013. Em 2014 teremos o fim da Residência Médica, nos moldes atuais, e a Comissão Nacional de Residencia Médica perde seu papel regulador. Quiçá será extinta.

Toda essa truculência, todo esse "trator" político com o suposto objetivo de levar médicos para os já referidos "vazios assistenciais" localizados, prioritariamente, nas regiões Norte e interior da região Nordeste. De fato, nestas regiões, que são as mais pobres do país, os municípios tem muita dificuldade de contratar médicos. As causas são bem conhecidas e foge ao escopo deste post. Assim, causa espécie, causa verdadeiro espanto e estupor contemplar o mapa acima que expõe a distribuição dos 4.500 médicos que estão atuando em municípios brasileiros neste 2013. Este mapa é oficial e foi apresentado pelo próprio Ministério da Saúde às entidades médicas. A esmagadora maioria está no Centro Sul ou em cidades costeiras do Nordeste! Pouquíssimos na região Norte, Centro Oeste e interior do Nordeste.

Pasmem que a distribuição dos provabianos é extremamente semelhante àquela identificada pela pesquisa Demografia Médica, feita pelo CFM/CREMESP. Esta pesquisa demonstrou a concentração de médicos nas capitais e centro sul do país. A distribuição dos provabianos 2013 demonstra, de forma cabal, a falência desta estratégia no seu objetivo primordial. Reforça que só a Carreira de Estado para a Atenção Básica vai resolver de forma sustentável e estruturante o problema da dificuldade de contratação de profissionais de saúde, particularmente médicos, no interior dos estados da região Norte e Nordeste.


11 comentários:

  1. Nem o PROVAB nem a importação de médicos estrangeiros resolverão a falta de médicos no interior.Somente a criação da CARREIRA DE ESTADO para os médicos dos serviços públicos, nos moldes do judiciário(juizes,promotores,etc...) resolverá o problema,Mas isso não interessa,politicamente, ao Governo.

    ResponderExcluir
  2. de maneira análoga, esse outro mapa mostra a distribuição do aumento da população, que reflete também as áreas de maior densidade populacional: http://2.bp.blogspot.com/-ltMiEIqMCx4/TraXg4KzOAI/AAAAAAAAA1I/ptdC4ObRNxI/s1600/mapaPop.png
    Utilizar esse mapa de distribuição de médicos para causar alguma comoção na população ou nos médicos é uma atitude no mínimo leviana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, plenamente.

      Excluir
    2. Mapa da evolução da população brasileira de 2000 a 2007. Estou errado em dizer que esse mapa está desatualizado em pelo menos 6 anos?

      Então, por raciocínio análogo, questionar um mapa de 2013 com dados de 2007 não seria também leviano?

      Excluir
  3. Leviano é uma palavra forte. O MAPA mostra a distribuição dos médicos realizada pelo programa que o governo apresenta como uma das saídas para levar médicos para o interior da Amazônia, Centro Oeste e interior do Nordeste. As conclusões são individuais. Reproduzi uma imagem divulgada pelo Governo. Minha atitude não foi leviana.

    ResponderExcluir
  4. Ohe, eu acho um total absurdo alguém que defende as causas médicas aprovar o PROVAB.
    Eu participei desse programa infame durante 4 meses, e digo., os piores da minha vida.Se quiser defender,defenda,mas vá e passe uma temporada lá e veja como esse programa funciona realmente.Como dizia minha avó: pimenta nos olhos dos outros é refresco no meu!!!

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Defender o PROVAB é apoiar um sistema ditatorial, que castra a liberdade de expressão e a meritocracia!Ninguém tem o direito de obrigar todos os médicos sem especialização e que almejam uma residência médica a ir para postos de saúde em troca de 10% na prova de residência.Eu digo com absoluta convicção q esse PROVAB é a maior "porcaria" implantada pelo governo até hoje. Enfatizo também q nenhuma entidade médica se posicionou contra a sua implantação, ou seja, quando os absurdos governamentais não atingiam a elite da medicina ninguém reclamou, agora como todos estão se sentindo prejudicados reclamam e querem o apoio dos estudantes e recém-formados.
    O resultado desse conflito de interesses e da desunião da classe médica fez com que a força do governo crescesse e a partir daí instalaram -se os primórdios do mais médicos.....O PROVAB foi o princípio dos inúmeros absurdos do governo Dilma, mas ninguém deu muita importãncia, aliás, só os médicos ditos fracos,recém-formados,sem residência,sem força,o que para o conselho federal não faz diferença nenhuma.
    Pois eu digo, sou pobre, terminei medicina numa universidade federal, ás custas de muito estudo.Planejei fazer residência após 2 anos de formada e de repente me vejo inserida num caos!!!Aí vejo seu depoimento:REVALIDA SIM, ótimo; só não entendo pq apoiar o PROVAB?Será q é pq não vai lhe atingir?É desconhecimento sobre o verdadeiro funcionamento?
    Essa história de que os nossos recém-formados vão levar menos calote, definitivamente não convence a ninguém.Em vez de ficar fazendo suposições sobre o que será melhor para os recém-formados, não é mais fácil perguntar aos mesmos?Pois mesmo sem me perguntarem, ei de responder:Prefiro ter minha liberdade de ir e vir, trabalhar onde eu quiser, quantas horas quiser,ter tempo pra estudar o quanto eu quiser.Quero fazer uma prova e passar por mérito e não por métodos sujos!!!Mas, não poderia ser diferente, no país das cotas, agora cota pra residência médica!!!!!!!Eu não estranho mais nada nesse país. é só mais um dos muitos ABSURDOS!!!!

    ResponderExcluir
  7. Raissa, concordo quase que totalmente com seus comentários.
    Meu nome é Leonardo, sou médico há apenas 1 ano, recém-formado nas mesmas condições que você, em uma Universidade Federal e sem grandes auxílios financeiros familiares. Tanto estamos nas mesmas condições que estou (até o momento), cumpro rigorosamente com 10 meses de PROVAB que pretendo finalizar por uma "necessidade".

    Sabemos bem sobre a verdadeira corrupção que ocorre nos concursos de residência médica e, caso você como eu opte por uma especialidade de difícil acesso e concorrência preparadíssima para tal, há que se pensar em alternativas.

    Também não concordo com o PROVAB da maneira com que é realizado. Mas acho sim que, caso você concluísse seu "Programa" seria sim seu mérito (no caso, 10%) de ter abdicado de seu tempo, já que deveria trabalhar 32 horas semanais, por vezes ter que morar em outra cidade para cumprir a hora de trabalho e ter que suportar toda a politicagem praticada nesses municípios. Por isso acho válido algum tipo de "benefício" para alcançar a vaga na residência escolhida. Claro que existem inúmeras falhas no Programa, mas temos que lembrar que existe uma população que precisa de (não só), atendimento médico. Nesse ponto, os inscritos no programa auxiliam (ainda que fracamente) a saúde da população.

    Estou nesse momento, dia 31 de dezembro de 2013, ouvindo fogos de artifício e com livros e apostilas abertas tentando estudar para conseguir meu objetivo.
    Temos que fazer escolhas e, como tudo na vida, apostar em algumas coisas!

    É um paradoxo eu estar inscrito num programa com o qual não concorde 100%. Mas caso não me inscrevesse, teria MENOS 10%. E isso sim é uma grande sacanagem.

    Nosso governo ditatorial, se reeleito, piorará muito a saúde da população, bem como desarticulará todo o compromisso do médico no que tange à ética profissional, já que o que dá "ibope" não são especialistas e generalistas bem formados e entusiasmados com suas carreiras, mas sim, importação de "médicos" que não precisam provar que são.

    Espero a criação de uma carreira de Estado justa, o fim do Provab e do programa MaUs Médicos.

    Espero para você, o mesmo que espero para mim e para todos nossos colegas de profissão! O bem para a vida do paciente e o bem para as nossas vidas.

    Boa sorte e força!! O impossível não existe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O PROVAB fere profundamente o princípio da isonomia dos concursos. O colega pode querer justificar com quaisquer palavras sua participação no PROVAB, mas nunca conseguiria. Veja seu motivo para estar no PROVAB: conseguir a vaga de residência. Você realmente não acha que foi só o bônus na prova que fez o número de participantes aumentar 10 vezes? O governo, que você tanto critica, sabe muito disso. Como você são a maioria dos provabianos: sabem que o programa não deveria existir, mas estão muito preocupados com a SUA vaga de residência para boicotá-lo. Como o PROVAB pode acabar, se é você quem mantém ele vivo? Não, amigo, enquanto se pensar como você, o PROVAB, o Mais Médicos, o ataque à classe médica, não vai acabar. Lamentável.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

stats

redes

    

Blog do médico paraense Waldir Cardoso dedicado a discutir sobre saúde, política e cidadania. Seja bem vindo/a

Vídeos

Vídeos

Waldir e Saúde no Brasil vídeo

Vídeos

Arquivo

Arquivo

Busca

Busca
Tecnologia do Blogger.

Categorias

Categorias

Estatísticas

Estatísticas

Contador

Contador de visitas

clustrmaps