domingo, 30 de junho de 2013

Médicos, vamos às ruas mostrar força e exercer a cidadania

Nós médicos sempre fomos taxados de alienados. Não sem certa dose de razão. Nossos seis anos de curso são exaustivos. Cursados em tempo integral, são heróis os colegas que conseguem concluir tendo outra atividade de emprego ou aqueles que têm família para sustentar. Tal atividade frenética não nos dá tempo para militâncias políticas. Só uns poucos malucos o fazem. Defendo que não somos alienados. Isto não condiz com a realidade.

Na maioria, podemos não ser tão participativos. Mas acompanhamos a situação política do país, do estado e da nossa cidade. Nos organizamos nos sindicatos e associações científicas. É verdade que poucos nos dedicamos à política partidária. Mas é assim com a maioria da população. No geral, somos líderes natos, até pelo fato de fazermos parte da elite intelectual do país. Estamos presente nas mais diversas áreas da sociedade organizada.

Minha crença na percepção política e exercício da cidadania é que me deixa otimista na atuação da categoria médica na quadra política que atravessamos. O país incendiado com movimentos de reivindicação e protestos. Todos nas ruas. Nossa categoria sob fogo cruzado do governo. Somos apresentados ao país pelo governo e pela presidente, em cadeia nacional, como os responsáveis pela crise na saúde. Desalmados que não querem ir para o interior. Negam o juramento de Hipócrates e só querem saber de dinheiro. É assim que governantes,  secretários estaduais de saúde e outros menos votados se referem aos médicos.

Ameaçam não sancionar a lei do Ato Médico que levamos 11 anos para aprovar no Congresso Nacional; a presidente anuncia a vinda dos médicos estrangeiros e o Ministro da Saúde confirma que estes não terão seu diploma revalidado; negam a Carreira de Estado para a atenção básica virando as costas para o Sistema Único de Saúde; investem nas pirotecnias que rendem espaço midiático – como UPA´s e distribuição de ambulâncias – ao invés de investir em condições de trabalho e remuneração digna que levem médicos brasileiros para o interior; não oferecem mínimas garantias de segurança para que médicos possam trabalhar na periferia das grandes cidades. E os culpados somos nós!

Colegas, é hora do basta! Dia 03 de julho, quarta feira, as entidades nacionais e nossas lideranças horizontais entrincheiradas nas mídias sociais, convocamos um dia nacional de protesto contra os desmando do governo e em repúdio às agressões contra os médicos por parte de todos os governos. A mídia divulga que o protesto é contra a importação de médicos estrangeiros. Não só. Será contra as péssimas condições de trabalho; contra o desrespeito dos governantes e da presidente que nos deu um tapa em rede nacional; em protesto pelo não reconhecimento da dedicação de milhares de médicos ao SUS e aos pacientes; contra os péssimos salários que a esmagadora maioria dos médicos recebe; contra a falta de vínculo, carteira de trabalho assinada e calote dos prefeitos; contra a falta de respeito destes governos incompetentes que não nos ouvem e jogam nos nossos ombros o peso da sua inoperância.

Também será um protesto contra a corrupção que campeia em todos os níveis; contra a ineficiência dos serviços públicos; contra a insegurança que nos aprisiona em casa; contra os altos impostos que pagamos como trabalhadores e autônomos, enquanto grandes empresários pouco pagam; pela falta de financiamento da saúde; contra uma classe e sistema político que não respeitam a cidadania do país.


Dia 03 de julho, quarta feira, em todo o país, os médicos, vamos às ruas. Em Belém vamos nos concentrar, a partir da 08h00 da manhã, em frente a Santa Casa. Vamos cancelar o consultório; adiar cirurgias eletivas; suspender o atendimento nos ambulatórios; negociar com as chefias para obter liberação para este dia decisivo para os médicos e para a medicina. Nenhum estudante vai assistir aula. Só hoje. Professores adiem provas e reponham as aulas não ministradas. Somos 380.000 médicos e cerca de 100.000 estudantes de medicina. Faremos passeatas massivas mostrando a força dos médicos. Participar deste momento de mobilização da sociedade, defender a medicina e lutar pela qualidade da atenção à saúde da população. Vamos mostrar ao país que os médicos somos cidadãos, temos cidadania e sabemos exercê-la.

4 comentários:

  1. Vou levar junto minha família !!! SOMOS UM nesse momento....FORA DILMA CANCER DO SUS !

    ResponderExcluir
  2. Vamos todos juntos a nível nacional, mostrando nossas caras na certeza de que fazemos a diferença. Os nossos pacientes há anos clamavam por esta nossa atitude. Hoje gritam nas ruas "Queremos saúde de qualidade" agora é só nos unirmos com quem sempre esteve junto de nós. Prá Frente Brasil.

    ResponderExcluir
  3. Acho muito digno este protesto

    ResponderExcluir
  4. EVENTO DE MOBILIZAÇÃO PELA SAÚDE NO DIA 03 DE JULHO / 2013

    ORGANIZAÇÃO: CRM-ES / SIMES / AMES / UNIMED VITORIA

    HAVERÁ PASSEATA E MANIFESTAÇÕES PÚBLICAS EM DEFESA DA SAÚDE!

    E AÍ, VAMOS PARTICIPAR???

    UM EVENTO PARA TODA A SOCIEDADE -- PORTANTO, CONVIDEM AOS SEUS AMIGOS, PARENTES, COLEGAS, VIZINHOS, ETC.

    http://www.facebook.com/events/473092872781973/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

stats

redes

    

Blog do médico paraense Waldir Cardoso dedicado a discutir sobre saúde, política e cidadania. Seja bem vindo/a

Vídeos

Vídeos

Waldir e Saúde no Brasil vídeo

Vídeos

Arquivo

Arquivo

Busca

Busca
Tecnologia do Blogger.

Categorias

Categorias

Estatísticas

Estatísticas

Contador

Contador de visitas

clustrmaps