quarta-feira, 17 de julho de 2013

Médicos brasileiros tem até dia 25/07 para se inscrever no Mais Médicos

O governo federal lançou mais um programa na tentativa de atrair médicos para as periferias das grandes cidades e para os rincões do país. Desta vez, através da Medida Provisória que legaliza a entrada de médicos estrangeiros sem avaliar sua competência. De quebra, amplia o curso de medicina de 06 para 08 anos sem discutir com ninguém. Continuamos insistindo que só a Carreira de Estado irá resolver de forma duradoura e estruturante a carência de médicos no interior.

Desde sempre as entidades médicas reclamam que, antes de se trazer médicos estrangeiros de formação duvidosa, deveria ser garantida a oportunidade de médicos brasileiros participarem. Temos convicção que se as condições de trabalho garantirem o mínimo para o exercício ético da profissão não vai faltar candidatos. O governo está atendendo este reclamo, embora num prazo curtíssimo. Tal pressa denuncia o caráter eleitoreiro das medidas e pode ser uma armadilha para "comprovar" o desinteresse dos médicos brasileiros. É público que Dilma quer porque quer ter uma marca de governo. Escolheu a suposta falta de médicos. Pode se arrepender, amargamente.

O fato concreto é que os médicos brasileiros ou estrangeiros com diploma revalidado podem se inscrever para participar do programa até o dia 25 deste mês. O cadastro deve ser realizado pelo Sistema de Gerenciamento de Programas do Ministério da Saúde, neste endereço eletrônico. Os médicos selecionados pelo programa receberão bolsa no valor de R$ 10 mil mensais e auxílio deslocamento, de acordo com a localidade onde for atuar. Vamos tentar modificar a Medida Provisória 621, no Congresso, para transforma esta bolsa em contrato de trabalho a fim de garantir os direitos sociais dos médicos participantes.

O número de vagas disponíveis vai depender da demanda a ser apresentada pelos municípios e terão prioridade para o envio de médicos as periferias de capitais e regiões metropolitanas onde há carência, além de pequenos municípios, especialmente nas regiões de fronteira, que ficam na região amazônica ou com populações indígenas ou rurais.

Recomendo aos colegas que decidirem aderir que mantenham estreito contato com as entidades médicas, particularmente com os sindicatos. Precisamos de informações sobre as condições de trabalho e tudo o mais que possa representar dificuldade para o exercício profissional. No Pará acesse através do sitewww.sindmepa.org.br, e use o "fale conosco" ou ligue (91) 9989-3386 (SOS SINDMEPA).

4 comentários:

  1. Não tenho nenhuma dúvida de que a procura, será dos colegas que estão adentrando no mercado de trabalho, e por isto, que o CRM e Sindicato dos Médico tem que verificar "in loco" as condições destes locais e manter um canal de contato frequente

    ResponderExcluir
  2. ...e talvez muitos colegas que precisam trabalhar em três empregos - como municipais e estaduais -, para alcançar 10 mil reais por mês, aqueles que, por alguma restrição do mercado não tem acesso a medicina complementar ou privada.

    ResponderExcluir
  3. Gostaria de saber se um médico aposentado poderia pleitear uma dessas vagas de trabalho no interior do estado.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

stats

redes

    

Blog do médico paraense Waldir Cardoso dedicado a discutir sobre saúde, política e cidadania. Seja bem vindo/a

Vídeos

Vídeos

Waldir e Saúde no Brasil vídeo

Vídeos

Arquivo

Arquivo

Busca

Busca
Tecnologia do Blogger.

Categorias

Categorias

Estatísticas

Estatísticas

Contador

Contador de visitas

clustrmaps